O LP Volta?

volta do LP

O Disco de vinil, mais conhecido como LP (Long Play), volta a ser personagem na mídia. Surgiu no ano de 1948 para a reprodução musical, parece ser insubstitImage and video hosting by TinyPicuível para os amantes da música. Muito superior ao seu antecessor era o disco de goma-laca de 78 rotações – RPM que comportava uma canção por face do disco.
Ele possui micro-sulcos ou ranhuras que fazem a agulha vibrar. Essa vibração é transformada em sinal elétrico, amplificada, enfim se tem o som.

Os discos de vinil foram produzidos sob diferentes formatos:
tipos

* LP: abreviatura do inglês Long Play (conhecido na indústria como, Twelve inches— ou, “12 polegadas” (em português) ). Disco com 31 cm de diâmetro que era tocado a 33 1/3 rotações por minuto. A sua capacidade normal era de cerca de 20 minutos por lado.

* EP: abreviatura do inglês Extended Play. Disco com 17 cm de diâmetro e que era tocado, normalmente, a 45 RPM. A sua capacidade normal era de cerca de 8 minutos por lado. O EP normalmente continha em torno de quatro faixas.

* Single ou compacto simples: abreviatura do inglês Single Play (também conhecido como, seven inches—ou, “7 polegadas” (em português) ); ou como compacto simples. Disco com 17 cm de diâmetro, tocado usualmente a 45 RPM (no Brasil, a 33 1/3 RPM). A sua capacidade normal rondava os 4 minutos por lado.

* Máxi: abreviatura do inglês Maxi Single. Disco com 31 cm de diâmetro e que era tocado a 45 RPM. A sua capacidade era de cerca de 12 minutos por lado.

Com invenção dos compact discs (CD) no final dos anos 80, prometeu maior capacidade, durabilidade e clareza sonora, e, principalmente, sem o maldito chiado, mas também adorado por alguns. Os LP’s perderam espaço nas prateleiras das lojas de música.

Disco de vinil versus Cd’s

Lp e Cd

Para ouvir um LP era um ritual, primeiro pelas duas capas, depois a limpeza quase que semanal com sprays e flanelas. Com o Cd era só abrir a caixinha… tá certo, tem que limpar as vezes, eu sei… mas é bem menos que o LP pois ainda tenho os meus intactos aqui em casa.

O som digital elimina o ruído foi um grande avanço na fidelidade das gravações. Mas para os que ainda preferem o vinil, o argumento principal é que as gravações digitais por cortarem as freqüências sonoras mais altas e baixas, eliminam os harmônicos, ecos e batidas graves portanto a “naturalidade” e espacialidade do som.

Links Curiosos:
Máquina de lavar LP
Image and video hosting by TinyPic

Toca disco de vinil laser:
Image and video hosting by TinyPic

Ion TTUSB – Toca disco USB
Image and video hosting by TinyPic

Aplicativo para ipod (quem inventou não se preocupou em arranhar o ipod)

Spinning vinyl ipod app from Theo Watson on Vimeo.

Uma curiosidade: o disco de vinil não precisa de um aparelho de som propriamente para ser “tocado”. O princípio de funcionamento se baseia na vibração da agulha no sulco dentro das ranhuras. Pode-se experimentar rodar disco com agulha como no vídeo abaixo (será?):

Sobre o Autor

Bruno Francesco

Formado em Publicidade, MBA em Marketing Digital e Músico. Mantém as duas carreiras: publicitário e cantor.

Visit Website

Ainda não há comentários.

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*